Guia do Viajante- alguns conselhos úteis!!!

Algumas dicas:


No ar
As emergências médicas no ar são pouco comuns. Ainda assim, um em cada 20 mil passageiros sofre um episódio clínico grave, geralmente relacionado com problemas cardíacos ou pulmonares


Desidratação
Não esquecer de beber muita água, de preferência um ou dois copos por hora. O abuso de cafés e de bebidas alcoólicas pode aumentar o risco de desidratação, além de que, no regresso, pode ser um bom método de evitar transtornos gastrointestinais.

Alergias
Durante o voo, os problemas alérgicos tendem aumentar, nomeadamente nariz e garganta. Isto acontece, entre outras razões, porque o ar não é humidificado, contribuindo para que as mucosas do nariz e da boca sequem. Se for asmático ou sofrer de rinite alérgica, não abdique de ter consigo os medicamentos indicados.

Oxigénio reduzido
A quantidade de oxigénio disponível é um pouco menor, o que não é suficiente para incomodar passageiros saudáveis. No entanto, se sofrer de insuficiência cardíaca, angina ou doença pulmonar obstrutiva crónica, pode sentir desconforto, dores no peito ou até sentir dificuldade em respirar. Assegure-se com o seu médico que é seguro viajar.

Dor nos ouvidos
Os “ouvidos entupidos”, comuns durante a descolagem ou aterragem, resultam das variações bruscas de pressão. Podem surgir dores nos ouvidos, devido à pressão exercida sobre o tímpano, ou em outras cavidades corporais, como nos dentes. Abrir e fechar a boca repetidamente, bocejar, mastigar pastilhas ou engolir, ao melhorar a circulação do ar, providenciam alívios rápidos. Se costuma mergulhar, evite fazê-lo nas 24 horas anteriores ao voo, para permitir a despressurização.

Náuseas e enjoos
Existem medicamentos que combatem os sintomas associados ao enjoo provocado pelo movimento, que podem provocar alguma sonolência. Se é particularmente sensível, evite ler, beber álcool ou café, fazer refeições pesadas. Escolha um lugar no avião que fique antes ou perto da asa, onde o avião é mais estável, e direccione a ventilação para a face.

Ansiedade
Se não gosta de espaços fechados ou tem medo de voar, viajar pode ser uma situação quase traumática, provocando suores frios, ataques de pânico ou até desmaios. Procure distracções. Se viajar sozinho, converse com o passageiro do lado. Leia, ouça música, tome calmantes normais e tente aproveitar a viagem para dormir.

Pernas e pés
Mais de 10% de adultos nos países ocidentais sofrem de Síndroma das Pernas Inquietas, cujos sintomas podem ser despoletados por muitas horas numa viagem de avião. A acção da gravidade e a falta de movimento dificultam a circulação, tornando as pernas inchadas e aumentando o risco de coágulos, que dão origem a tromboses venosas, numa situação já denominada por síndrome da classe económica. Movimente as pernas, levante-se, ande um pouco no corredor e tente não cruzar as pernas ao sentar. Se for propenso a varizes ou edemas nas pernas ou pés, por que não experimentar meias elásticas de compressão suave?

Coração
Os ataques cardíacos são duas vezes mais frequentes no ar do que em terra. Se mais vale prevenir que remediar, este é um caso evidente.

Jet Lag
Se cruzar vários fusos horários, é provável que o jet lag se torne o principal inimigo das suas férias, provocando sonolência, falta de atenção, irritabilidade e alterações intestinais. Comece a “fintar” esta situação antes do embarque: calcule os horários de refeições no destino e comece, alguns dias antes, a habituar-se a esta rotina. Tente marcar a chegada para o período do dia: a exposição à luz acelera a adaptação entre o ritmo biológico do organismo e o exterior


Em terra
Previna a sonolência, não descure o assento das crianças e previna os enjoos.

Enjoo de movimento
Existem várias estratégias para evitar os enjoos, embora nenhuma delas 100 por cento segura. Tome uma refeição leve antes da viagem. Se possível, abra a janela e sinta o ar fresco. Peça ao condutor para fazer paragens frequentes – assim recuperará o sentido de equilíbrio – que curve devagar e que evite travagens desnecessárias.

Engane o organismo
Olhe para o horizonte e foque um ponto distante, mantendo os olhos alinhados com o movimento do carro. Envolva os companheiros de viagens em distracções simples: jogos, canções, adivinhas. Não só ajudam a passar o tempo como obriga o cérebro a concentrar-se noutra situação que não a viagem

Crianças seguras
Não se esqueça da legislação aplicável relativa aos assentos das crianças. Em Portugal, O Código da Estrada diz que o transporte de menores de 12 anos e com menos de 1,50 m de altura tem de ser efectuado através de um sistema homologado e adaptado ao respectivo tamanho e peso. A lei também proíbe o transporte de crianças com menos de 3 anos em automóveis sem cintos de segurança.


No mar
Dizem que o “ficar mareado” resulta da incapacidade do cérebro processar informações diferentes – se os pés estão assentes no chão, como pode estar o horizonte a balançar?


Ondas e “mar picado”
Veja com antecedência o estado do mar e as marés: pode não evitar o enjoo, mas pelo menos está prevenido(a). Ao contrário das viagens no carro, no barco pode dar-se ao luxo de estar ao ar livre. Mas fique pelo deck baixo, onde o barco é mais estável. Não fixe o olhar nas ondas. Se ainda sentir náuseas, deite-se e mantenha os olhos fechados.

Cruzeiros longos
Na escolha da agência de viagens, investigue se existem episódios ou queixas de problemas em viagens anteriores. A internet ou a DECO podem ser boas fontes na hora da escolha. Verifique as datas de validade dos produtos processados que consumir a bordo. Beba sempre muita água – engarrafada - especialmente em temperaturas quentes e climas tropicais.

Dicas naturais
O gengibre, em pó ou em cápsulas, é um bom adjuvante contra os enjoos. Estudos demonstraram que também a acupressão pode providenciar benefícios consideráveis.

(in Perfomance Online)

Comentários

kiduchinha disse…
e tu lagartixa, qdo começas a publicar aki no blog os teus textos? :p boa semana! beijocas da amiga águia ;)
Luisinha disse…
Ainda não tive tempo de rever os meus textos e publicar aqui alguns. Em breve, talvez mostre algumas coisas minhas...se bem que se tem de ter cuidado porque há quem use abusivamente de textos que não lhe pertencem. Nunca me aconteceu, mas conheço casos que usaram para por em revistas, o que é de muito mau gosto, mas como diz o ditado " As atitudes só ficam para quem as toma" Boa semana e obrigada pelo incentivo. Estava a precisar do puxão de orelhas!!!EH!Eh!!